História da Cajuína

Tudo começou em uma pequena fábrica de bebidas alcoólicas que produzia vinhos a base de frutas, como caju, jurubeba e jenipapo, fundada nos anos 30, e posteriormente vendida ao senhor Luciano Teófilo de Melo, conhecido comerciante de Juazeiro do Norte.

Alguns anos depois, no final da década de 50, um jovem chamado José Amâncio de Sousa passou a fazer parte do quadro de funcionários dessa fábrica, e com seu trabalho e dedicação, em apenas dois anos, torna-se proprietário deste empreendimento, e que passou a ter como razão social, o seu nome. José Amâncio de Souza.

A década de sessenta foi marcada pela aquisição dos primeiros maquinários (todos manuais), pelo ingresso de seus irmãos Francisco de Sousa e Tarcila de Sousa, mais precisamente em 1957, e pelo início da fabricação do primeiro refrigerante – O Guaraná Brasil – um refrigerante à base de guaraná que foi produzido até a década de 70.

Com a chegada da energia elétrica na região, em 1962, novos equipamentos foram adquiridos, semi-automáticos, dando um novo impulso à produção. Nesse mesmo ano, é lançada a Cajuína São Geraldo, que mais tarde, com a regulamentação da legislação brasileira de bebidas, foi classificada como Refrigerante de Caju.

Em 1976, é criada a razão social Cajuína São Geraldo Ltda. Com a mudança de gestão, surgiu o novo produto que substituiu os demais: o Refrigerante de Caju São Geraldo que, com o seu sabor singular, tendo por base o suco natural da fruta, conquistou primeiramente os cearenses e tornou-se, desde então, conhecido em todo o Brasil.

Atualmente, a Cajuína São Geraldo, possui um parque industrial com extensão de mais de 33 mil metros quadrados e emprega em torno de 400 pessoas diretamente e milhares de forma indireta.

Além de uma indústria, a empresa tornou-se uma referência cultural da região do Cariri, sendo um local turístico que recebe visitantes de todo o país, desejosos por vivenciar a experiência de conhecer a fabricação dos produtos e degustá-los.

Além do tradicional Refrigerante de Caju, a Cajuína São Geraldo fabrica ainda refrigerantes com os sabores uva e guaraná. Todos esses produtos, antes de satisfazerem o paladar do consumidor final, passam por processos de fabricação que atendem aos mais rigorosos padrões de qualidade.

Desde a colheita das frutas, passando pelo processamento industrial e chegando ao envase, a preocupação com a qualidade e o compromisso com a sustentabilidade ambiental são uma constante. Sendo assim, todas as etapas de fabricação são fiscalizadas e certificadas pelos órgãos competentes.

Pautando-se por valores como ética empresarial, excelência na qualidade de produtos e serviços, bem como focados na valorização das pessoas e suas potencialidades, a empresa Cajuína São Geraldo alcança, cada vez mais, em todo o país, fiéis apreciadores dos seus sabores inigualáveis.

Cajuína São Geraldo. A mais de 50 anos produzindo o genuíno Sabor no Nordeste

Facebook